sábado, 21 de março de 2015

não sei como te explicar

Beijo-te a testa e cheiro o teu cabelo perfumado e macio. Passo as minhas mãos nas tuas e, olhando para ambas, fico a achar que tenho mãos de gigante. Vejo-te a bocejar, a elevares os teus braços pequeninos, a esticares todo o teu corpo com os seus 51 centímetros. Ouvimos jazz, sentimos o sol a entrar dentro de nossa casa.
Não sei como te explicar o sentimento de ser mãe. É como uma receita de um bolo, uma mistura de muitos ingredientes. É medo, ansiedade, felicidade. É sentir que não estamos à altura e é sentir que fomos feitas para isto.
Tenho saudades da rua, do sol e, às vezes, do emprego. Estou (estamos) há quase 1 mês aqui dentro de casa. Mas a temperatura começa a convidar-nos a passeios pelo bairro.
Dormes e pareces um anjo. 
Vejo-te a crescer e tenho medo de perder alguma coisa, nesta viagem que ainda agora começou.




3 comentários:

ML disse...

Que perfeição!

Supimpona disse...

Que fofura :) Revejo.me na parte de já estar em casa a sufocar por uns passeios! Com o bom tempo tudo vai parecer mais fácil!
Beijinhos

Happy Brunette disse...

Olha é tal e qual!! A Noa nasceu em pleno inverno 19 de dezembro, e a verdade é que do agora saio mais à vontade com ela porque tem feito tanto frio e tanto vento quem nem apetece... E é tão bom ser mãe, Ahhh e parece que quanto mais crescem mais receio de perdermos algo temos, porque olhamos para o lado e sorriu ou fez uma graça ou algo que é novidade!! É tão bom, apriveita muito, parabéns 💕