quinta-feira, 18 de dezembro de 2014

alicerces da vida

Não tenho a ilusão de ser feliz todos os dias, a toda a hora, permanentemente. Mas desejo tornar os nossos dias um bocadinho melhores, mais felizes e um bocadinho mais bonitos. Nem sempre consigo e nem sempre aquele raio de sol consegue trespassar a nuvem. Mas pelo menos vou tentando.
O compromisso que repito para mim todos os dias é o de não deixar de acreditar, de ter a certeza que depois dos dias menos bons vêm dias incrivelmente melhores. É ter a certeza que aconteça o que acontecer o nosso amor estará lá, naquele lugar protegido de tudo, onde só cabe e se aguenta um grande amor.
Aprendo a levantar-me todos os dias com uma atitude um bocadinho mais positiva. A encarar as dificuldades com o peito aberto. E se, de vez em quando, essa atitude não aparece, eu tento encontrar conforto na certeza das nossas decisões.
Dou graças pelo dia em que as nossas vidas se cruzaram, naquela noite fria de Dezembro, na cidade dos arcebispos. Dou graças pelo sentido que temos tentado dar às coisas, pela paz que tentamos ter nos momentos de maior ansiedade. Pelas dúvidas que deram lugar a certezas.
A minha serenidade consegue-me quando sinto que nada consegue abalar isso.
Assim como numa casa em que os alicerces têm de ser sólidos e firmes, também numa relação isso deve ser construído para que, independentemente das tempestades, dias maus, chuva ou trovoada, o amor prevaleça e a segurança nos faça sentir que vale a pena. Que o caminho que estamos a trilhar vale mesmo a pena.
 
 

1 comentário:

ML disse...

Adorei ler-te, mais uma vez. E hoje é um dia em que estou particularmente grata por tudo que a vida me tem dado!