terça-feira, 16 de dezembro de 2014

turbilhões

Quando era miúda, pequenina mesmo, colocava uma almofada na barriga, debaixo da camisola, e ficava a contemplar-me ao espelho. Pensava que um dia teria uma barriga de grávida a sério. Vieram os meus primos e consegui ser uma espécie de mãe para eles. Diziam os meus tios que eu tinha nascido para lidar com as crianças e, no fundo, eu sentia e sinto que é no meio das crianças que me sinto bem.
Agora chegou a minha vez. Agora é a sério e serei mãe a sério.
O maior presente de Natal que alguma vez imaginei é este. De valor infindável, de amor sem igual, de incerteza sobre o que se passará daqui a 2 meses.
Passa tudo muito rápido. A vida passa-nos entre os dedos. A agenda é folheada vezes sem conta, sempre com pontos por fazer, pontos feitos, ideias, sugestões, to do lists. Não consigo viver sem esta organização, que se por um lado é essencial para a minha vida, por outro não deixa de me criar ansiedade em querer fechar tudo, no tempo certo.
São muitas coisas a acontecer ao mesmo tempo. São muitas emoções para gerir, decisões para tomar, contas para fazer, despesas ainda a gastar.
É neste turbilhão que a nossa vida está mas nem por isso deixo de andar sossegada e feliz.
 
Fotografias de um sábado no Porto. Quase 29 semanas...
 


 

3 comentários:

SimpleHappy disse...

Olá :) Gostei muito deste texto, trouxe-me lembranças (felizes) da minha gravidez! Também estava no terceiro trimestre no natal, e foi muito especial.
"Sossegada e feliz", é isso mesmo que dizem estas fotos, parabéns!

Sónia TM disse...

Que ar feliz contagiante



tarasemanias.pt

ML disse...

Maravilhosa! Adorei!