sexta-feira, 4 de setembro de 2015

simplificar

sim·pli·fi·car
verbo transitivo
1. Tornar simples ou mais simples.
2. Tornar menos complicado.
3. Reduzir a termos menores (fracção).
verbo pronominal
4. Tornar-se simples ou menos complicado.

"simplificar", in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa

 
Confúcio dizia que “o homem que é firme, paciente, simples, natural e tranquilo está perto da virtude”. Mas tudo isto se torna confuso quando não sabemos como.
A vida que idealizei para mim, ainda miúda, deitada nos campos amarelos de trigo a ouvir os grilos entra e sai da toca e de pés descalços para sentir a erva seca a estalar por entre os dedos queimados pelo sol e escuros pela terra, não está muito longe daquela que sonhei.
Sonhadora nata, com mais caminhadas pela lua do que pelo chão de lousa negra da cozinha, fazia grandes filmes sobre casamentos, filhos, casas, empregos. Queria casar-me na igreja com um véu de renda. Queria ter 3 filhos. Queria uma casa com jardim atrás, espaço para um baloiço e umas ervas aromáticas. Queria um emprego das 9h às 6h numa secretária (sim, eu sei que provoquei urticária aos meus leitores trabalhadores freelancer, que eu admiro imeeeeeeenso, mas era realmente isto que eu desejava). Vistas as coisas, consegui tudo, à exceção dos filhos que ainda só tenho uma. Ainda.
Não fui habituada a ter tudo. Muito longe disso. E ainda bem. Restava-me a imaginação e muitas horas a olhar para o céu para fazer muitas conquistas. O verão que durava 3 meses era passado nas praias de Gaia (tão longe de casa mas as mais próximas), na casa da avó, nas explicações da tia Susana a fazer cópias, ditados e a tabuada até aos 9, a apanhar pinhas para o Inverno, a fazer cross com o meu irmão na bicicleta que ganhei na comunhão, a brincar às escondidas até às 10 da noite (hora limite para evitar o chinelo da minha mãe). A vida era simples, mesmo muito simples. Éramos crianças a valer.
Agora que sou crescida, no alto dos meus 1.64cm, e a ver crescer uma filha, só gostava que a vida fosse mais simples. Sim, eu sei que a nossa vida é aquilo que fazemos dela, mas às vezes não dá, às vezes é bem complicado, às vezes não sabemos para que lado nos virar, qual polvo tonto que perdeu o seu caminho.
Simplificar é difícil, mas não impossível. É este o meu lema e é esta a minha missão para o futuro. Não esquecer nunca de onde vim, onde estou e para onde vou.

 
 
Nós, os nossos pés, a nossa praia, o nosso amor, o nosso norte de água gelada.

1 comentário:

ML disse...

Gostei tanto de ler....